Saia para voar reuniu 6 mulheres em um bate papo

0
1346

Em tempos que todos debatem o que nos divide e separa, é urgente falar sobre o que nos uni. É urgente “virar o disco” e agregar conhecimentos.

No bate papo feminino sobre o voo livre, a mulherada escolheu debater união, diversão, autoconfiança, segurança e o sonho de voar. Não foi um programa estilo saia justa, mas sim um saia para voar, em todos os sentidos.

Sonhos existem para serem realizados, revistos, modelados e assim que se realiza um sonho criamos outro para que enriqueça nossa existência. É essa motivação que a Maria, de Poços de Caldas, aborda para o voo livre.

Marcinha, de TO, inspiradora feminina do mundo das acrobacias, incentiva a segurança. Fala sobre como lidar com as emoções, incentiva a leitura, o treinar, o preparar-se para lidar com situações apimentadas, como ferramentas para minimizar os riscos.

Autoconfiança é a palavra escolhida por Betânia, de BH. Questões como: Eu estou preparado(a)? Eu treinei o suficiente?  Eu estudei? Um debate que impulsionou o mergulhar sobre sentimentos como o medo, sobre como se avalia os riscos e os perigos.

Diversão foi a palavra de Elisa, do RJ, campeã brasileira de parapente. O voo livre vem enriquecer a existência, não apenas como uma válvula de escape das rotinas da carreira, família e compromissos, mas principalmente vem agregar experiências felizes, afinal de contas de que vale a vida sem a diversão e leveza?

Inahiá, de Sampa, com 25 anos de vivência no esporte, a Pri Saran, mineira e fundadora do Saia para Voar e a nossa Vento Nortenha, Raquel Canale, do Hike’n Fly escolheram a palavra união. É muito mais divertido, seguro, confiante e produtivo voarmos todos juntos, assim estreitamos os laços, trocamos experiências, aprendemos, ensinamos e compartilhamos histórias. Já cantou Raulzito: “Um sonho que se sonha só, é só um sonho. Um sonho que se sonha junto é realidade.”

Confira o bate-papo abaixo!

Informação:

A imagem que abre este artigo é a logo da quinta ODS (Objetivo de Desenvolvimento Sustentável), das Nações Unidas, e tem como objetivo geral 5: Alcançar igualdade de gênero e empoderar as mulheres e meninas.

Os objetivos específicos são:

5.1 Acabar com todas as formas de discriminação contra todas as mulheres e meninas em toda parte

5.2 Eliminar todas as formas de violência contra todas as mulheres e meninas nas esferas públicas e privadas, incluindo o tráfico e exploração sexual e de outros tipos

5.3 Eliminar todas as práticas nocivas, como os casamentos prematuros, forçados e de crianças e mutilações genitais femininas

5.4 Reconhecer e valorizar o trabalho de assistência e doméstico não remunerado, por meio da disponibilização de serviços públicos, infraestrutura e políticas de proteção social, bem como a promoção da responsabilidade compartilhada dentro do lar e da família, conforme os contextos nacionais

5.5 Garantir a participação plena e efetiva das mulheres e a igualdade de oportunidades para a liderança em todos os níveis de tomada de decisão na vida política, econômica e pública

5.6 Assegurar o acesso universal à saúde sexual e reprodutiva e os direitos reprodutivos, como acordado em conformidade com o Programa de Ação da Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento e com a Plataforma de Ação de Pequim e os documentos resultantes de suas conferências de revisão

5.a Realizar reformas para dar às mulheres direitos iguais aos recursos econômicos, bem como o acesso a propriedade e controle sobre a terra e outras formas de propriedade, serviços financeiros, herança e os recursos naturais, de acordo com as leis nacionais

5.b Aumentar o uso de tecnologias de base, em particular as tecnologias de informação e comunicação, para promover o empoderamento das mulheres

5.c Adotar e fortalecer políticas sólidas e legislação aplicável para a promoção da igualdade de gênero e o empoderamento de todas as mulheres e meninas em todos os níveis

Confira os detalhes da ODS -5 aqui.